Notícias Sinpro-AL

Sinpro-AL fecha mais dois acordos coletivos

Duas reuniões realizadas na semana passada fecharam mais dois acordos coletivos para beneficiar os professores. O primeiro ocorreu com o Sindicato dos Estabelecimento de Ensino de Alagoas (SINEPE) a nível Superior. A convenção coletiva foi assinada e a categoria terá o reajuste de 5,39% mais ganhos sociais.

A outra reunião ocorreu com a Faculdade Tiradentes (FITS) e nesta os professores saíram mais uma vez beneficiados com um reajuste de 5,5%, bolsa de descontos para dependentes, ganhos sociais e previdenciários, além de aumento nos vales de refeição.

Para o vice-presidente do Sinpro-AL, Eduardo Vasconcelos, os professores estão ganhando. “Nossa papel é conseguir o máximo de benefícios para a categoria. E intensificaremos cada vez mais essas ações”, disse.

Cartilha sobre o PNE é distribuída na sede do Sinpro-AL

Para ajudar a entende2014-08-06 10.49.46r melhor o Plano Nacional de Educação (PNE), a Confederação Nacional dos Trabalhadores e Estabelecimentos de Ensino (Contee) elaborou uma cartilha com toda a lei que foi aprovada no dia 26 de julho. O material já está disponível na sede do Sindicato dos Professores do Estado de Alagoas (Sinpro-AL) para os interessados em se aprofundar no tema.

O material está dividido em Introdução que conta a história de como o plano foi elaborado e o seu significado para os movimentos sociais. Além de como a Educação será regida a partir de agora, assim como os desafios para os próximos anos. A segunda parte da cartilha é o Texto da Lei, seguido das metas e estratégias.

Os professores sindicalizados podem adquirir a cartilha no horário de funcionamento do Sinpro-AL, de segunda a sexta das 9h às 15h.

Sinpro-AL é destaque dos jornais impressos neste final de semana

No último domingo (20) o Sindicato dos Professores do Estado de Alagoas (Sinpro-AL) foi destaque mais uma vez na mídia local. Desta vez, o vice-presidente da entidade, Eduardo Vasconcelos, falou sobre a sobrecarga de trabalho dos profissionais no jornal Tribuna Independente.

O assunto foi abordado após uma pesquisa internacional, divulgada há alguns dias em nosso site, sobre a média de estudantes na sala de aula. Na matéria o vice-presidente coloca a situação da categoria. “Assim não dá para acompanhar a evolução dos estudantes. Cada um deles é um ser diferente e que requer formas e linguagens específicas”, colocou. Ele também falou sobre a média salarial e que a precariedade está principalmente no Ensino Infantil: “Nessa fase é necessário mais cuidados com os estudantes. Eles ainda são crianças e precisam de mais atenção”.

Também no dia 13 de julho no jornal Gazeta de Alagoas, o Sinpro-AL entrou na discussão sobre as políticas de incentivo ao profissional da Educação. Eduardo abordou que o professor viver um drama para conseguir sua renda satisfatória no fim do mês. “O trabalho excessivo faz com que ele não leia, não tenha condições de planejar, as aulas ficam mecânicas, o que reflete diretamente na qualidade do ensino e na saúde mental e física dos professores”, falou no texto.

 

Sinpro-AL participa da posse do Conselho Municipal de Educação de Maceió

Posso do Novo Conselho de Educação de Maceió (Foto: Secom Maceió)

Posso do Novo Conselho de Educação de Maceió (Foto: Secom Maceió)

O Sindicato dos Professores de Alagoas (Sinpro-AL) participou na manhã desta segunda-feira (14) da posse dos novos membros do Conselho Municipal de Educação de Maceió. O evento aconteceu no auditório da Casa da Indústria e contou com diversas autoridades.

Para o vice-presidente esse é mais um espaço de discussão e desenvolvimento da Educação. “O Sinpro-AL está presente e fazendo parte dessa comissão. Lutando cada vez mais pela qualidade na Educação”, disse Vasconcelos.

O Conselho de Educação é um órgão colegiado, de caráter normativo, consultivo, deliberativo, fiscalizador e de controle social do Sistema Municipal de Ensino, estando integrado ao Conselho do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB). Ele visa contribuir para a democratização da gestão educacional do Município de Maceió, atuando na defesa do direito de todos à educação de qualidade, sendo, também, responsável por questões ligadas ao padrão de qualidade da educação pública municipal.

COMED

O Conselho Municipal de Educação de Maceió (Comed) foi instituído pela Lei Orgânica do Município de Maceió, nº 4.401, de 30 de dezembro de 1994, reformulado pelas Leis Municipais nº 5.133, de 20 de junho de 2001 e nº 5137, de 16 de julho de 2001, nº 5.622 de 24 de Julho de 2007, nº 6.025, de 16 de maio de 2011 e regulamentado em Regimento Interno.

Sinpro-AL continua na luta pela qualidade na Educação

10301497_538297119630790_3649699420361998963_nNa última semana 0 Sinpro/AL conseguiu agendar, através do deputado federal, Paulo Fernando dos Santos, O PAULÃO (PT), uma audiência com o senador Humberto Costa (PT-PE) para pedir celeridade à tramitação do projeto de lei 504/2011 que altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB – Lei 9.394/1996), e regula, em nível nacional, a quantidade de alunos em sala de aula.

De acordo com a proposta, as turmas de pré-escola e dos dois primeiros anos do ensino fundamental não poderão exceder a 25 alunos. Já as classes das demais séries do ensino fundamental e as do ensino médio, segundo determina o projeto, devem ter, no máximo, 35 alunos.

O Sindicato, desde 2010, vem denunciando as instituições de ensino com excesso de alunos em sala de aula. Várias escolas já foram punidas pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Sinpro-AL realiza o IV Forró do Fessô

Nesta sexta-feira (27) 0 Sindicato dos Professores do Estado de Alagoas (Sinpro-AL) realizou a quarta edição do Forró do Fessô. O evento junino ocorreu no Sindicato dos Bancários, localizado no Centro de Maceió, e contou com a animação da banda Os Malaquias do Forró.

Assim que chegavam, os participantes era recepcionados com uma mesa de comidas típicas regada a milho cozinhado, bolos, canjica e pamonha, entrando ainda mais no clima nos festejos. Os professores ainda contaram com caldos quentes, animando ainda mais a noite.

Durante a noite a banda tocou sucessos antigos e novos animando os sindicalizados e os familiares que estavam presentes no local.

A diretoria do Sinpro-AL, assim como seus funcionários, estava presente no evento conversando com os convidados e conduzindo a festa.

 

Dia 27 acontece o IV Forró do Fessô

cartaz

A Diretoria do Sindicado dos Professores do Estado de Alagoas (Sinpro-AL) convida aos professores (as) sindicalizados (as) para prestigiar o IV Forró do Fessô que acontece no dia 27 de junho às 20h no Sindicato dos Bancários, próximo ao Hiper Buarque de Macedo.  A atração deste ano será Os Malaquias do Forró. Você não pode perder!

Sinpro-AL fecha garante mais três convênios para sindicalizados

Esta semana o Sindicato dos Professores do Estado de Alagoas (Sinpro-AL) firmou mais três convênios para os seus sindicalizados. Veja abaixo quais são eles:

– OdontoCard: um dos planos mais valorizados no estado, possui a melhor equipe de dentistas e aparelhos para lhe atender. Mais informações com o corretor Otávio (82) 8851-4170 e 9653-5698.

– Montreal Clube de Hospedagens: com adesão a este clube você terá descontos e vantagens em hospedagem, passagens e tudo para deixar sua viagem mais tranquila e segura. Contato: Celina (82) 8814-5411.

– Faculdades: o professor sindicalizado tem até 30% nas mensalidades das seguintes faculdades: Fits, Unopar, Estácio-Fal e Seune. O convênio vale para cônjuges, filhos e dependentes.

Sinpro-AL entrega proposta para regulamentar quantidade de alunos em sala de aula

O Sindicato dos Professores de Alagoas (Sinpro-AL) entregou Conselho Estadual de Educação (CEE) uma proposta para a regulamentação da quantidade de alunos nas turmas de Educação Básica dos Ensinos Público e Privado.

A proposta da alteração da resolução 55/2002 do CEE/AL seria da seguinte forma: Creches – no máximo 08 crianças de 0 a 12 meses de idade; no máximo 10 crianças de 01 a 02 anos de idade; no máximo 12 crianças de 02 anos a 03 anos e 11 meses de idade
Permanecendo os números de auxiliares de sala. A Pré-escola – no máximo 15 crianças de 04 a 05 anos de idade; no máximo 15 crianças de 05 a 06 anos de idade, permanecendo os números de auxiliares de sala. Nas séries iniciais do ensino fundamental: limite de 20 alunos por turma. Já as classes das demais séries do ensino fundamental e as do ensino médio: limite de 35 alunos.

A proposta foi encaminhada ao ao presidente do Conselho Estadual de Educação e reitor da Uneal, Jairo Campos e dessa forma o Sinpro-AL acredita que está contribuindo para uma melhor qualidade na Educação do Estado, pois o excesso de alunos prejudica a saúde física e mental dos professores, além de prejudicar o aprendizado dos estudantes.

Saiba como funciona o Setor Jurídico do Sinpro-AL

Maxmyller Norbeto, setor Jurídico do Sinpro-AL

Maxmyller Norbeto, setor Jurídico do Sinpro-AL

O Sindicato dos Professores de Alagoas (Sinpro-AL) possui um setor Jurídico para atender os sindicalizadas nas mais diversas ocorrências ou esclarecer determinadas dúvidas. Maxmyller Norberto, um dos responsáveis do setor explicou como funciona essa parte do sindicato.

Sinpro-AL: Qual a função deste setor para os professores?

Maxmyller: Verificar devidamente se as verbas correspondentes, que são de direito do professor, estão sendo pagas, principalmente no termo da homologação. Nós verificamos e caso seja necessário, não ocorrendo o pagamento, conversamos com o professor para que ele entre em acordo com a instituição. O acordo não sendo feito, entramos com uma causa trabalhista, fazendo valer os direitos do período que ele laborou no local.

Sinpro-AL: Qual o maior problema encontrado em relação a isso?

Maxmyller: Quando as homologações vão sendo feitas ocorre uma falta de acordo. Normalmente essas instituições tem um setor de contabilidade que não observa a Legislação e acaba realizando pagamentos com valores indevidos.

Sinpro-Al: Quais são as etapas que ocorrem quando o sindicalizado procura o setor jurídico?

Maxmyller: Quando o professor vem realizar a homologação e apresenta pendências nas verbas rescisórias nós propomos a instituição a fazer um acordo e pagar conforme a legislação o que é devido. Caso não, o professor faz uma reclamação, onde é analisada e protocolada junta à Justiça do Trabalho onde ocorre conciliação ou julgamento.

Sinpro-AL: Quais outras funções do setor jurídico?

Maxmyller: Tiramos dúvidas em relação à convenção coletiva e orientações que o professor possa ter em relação aos seus direitos.