Notícias Sinpro-AL

Sinpro-AL participa de audiência que regulamenta quantidade de alunos em sala de aula

No último dia 31 de março o Sindicato dos Professores de Alagoas (Sinpro-AL) participou de uma audiência no Ministério Público do Trabalho (MPT) com o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino de Alagoas que regulamentou a quantidade de alunos em sala de aula. A iniciativa partiu após uma série de denúncias sobre a superlotação neste locais que prejudica o desenvolvimento dos estudantes e o desempenho profissional dos professores.

Um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) foi assinado e as instituições de ensino particular têm até o próximo ano para adaptar a quantidade de estudantes em sala de acordo com a resolução 055/2002 do Conselho Estadual de Educação. As mudanças para 2014 ficaram inviabilizadas, já que o ano letivo está em andamento.

Segundo a resolução a quantidade de alunos fica distribuída da seguinte forma: para o Ensino Fundamental Regular (1° e 2° anos – 25 alunos; 3° e 4° anos – 30 alunos; 5° e 6° anos – 40 alunos; 7° e 8° anos – 45 alunos) e para o Ensino Médio Regular – 50 alunos.

Sinpro-AL moderniza página no Facebook

Há duas semanas uma pesquisa do Ministério das Comunicações apontou que a Internet é o segundo meio de comunicação mais utilizado pelos brasileiros. Pensando nisso, o Sindicato dos Professores do Estado de Alagoas (Sinpro-AL) está modernizando sua página no Facebook.

Agora, além das notícias do Sinpro-AL, os sindicalizados podem contar com informações sobre os convênios firmados com clínicas, óticas e outros serviços. Aumentando a interatividade com os professores, dicas de saúde e de ensino também fazem parte da nova página que traz as mais recentes ferramentas de mídias sociais.

Ficou curioso? Então acesse clicando aqui.

Sinpro-AL realiza assembleia geral

1977427_552826294833240_488602448_nNeste último sábado (22) aconteceu na sede do Sindicato dos Bancários, em Maceió, uma assembleia geral do Sindicato dos Professores de Alagoas (Sinpro-AL). A direção juntamente com os sindicalizados puderam discutir assuntos do interesse da categoria da forma mais democrática e justa.

Na ocasião, o vice-presidente, Eduardo Vasconcelos, prestou conta das atividades realizadas em 2013, como as paralisação em algumas instituições de ensino, denúncias, fiscalizações, audiências públicas, participações em atos e as atividades culturais realizadas pelo sindicato.

Uma reunião no próximo dia 27 às 9h está marcada com a direção do Sindicato das Escolas Particulares de Alagoas (Sinepe) onde rá apresentada a proposta salarial de 2014 aprovada na assembleia.

 

SINPRO/AL convoca assembleia geral para o dia 22 de março

No próximo dia 22 de março o Sindicato dos professores de Alagoas (Sinpro/AL) convoca uma assembleia geral às 12h em primeira convocação e 12h30 em segunda convocação com qualquer número de associados.

A assembleia ocorrerá na sede do Sindicato dos Bancários e as pautas serão o reajuste salarial, DRE/2012 e outras.

SINPRO ALAGOAS PARTICIPA DO I SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO PRIVADA NO PIAUÍ

Sinpro Piauí

Discutir a educação privada foi o tema do I Seminário de Educação Privada que aconteceu no Piauí.

Teve inicio na noite de sexta-feira (07), o I Seminário da Educação Privada que debateu a educação nacional no âmbito do ensino privado. Esse é foi um dos temas discutidos no Seminário, que reúniu a classe trabalhadora para discutir os rumos da educação privada.

O encontro trouxe a classe trabalhadora dos professores e auxiliares administrativos para discutir importantes planos da educação privada no Estado, temas importantes como atividades extraclasse, plano de carreira, terceirização, aposentadoria, entre outros, são temas debatidos pelos palestrantes Edson de Paula de Minas Gerais e presidente da FITEE, Eduardo Vasconcelos vice-presidente do SINPRO de Alagoas e Rogério Nunes Diretor de Políticas Sociais da CTB do Ceará.

Na palestra de abertura, Edson de Paula explanou um pouco da história de como surgiu às escolas privadas no Brasil, e comparou como é o atual processo de criação das redes de ensino privado, em ambos os casos, Edson, coloca que o surgimento destas escolas surge exclusivamente visando o lucro comercial.
O Seminário seguiu atésábado (08)h no Auditório do Gran Hotel Arrey. Evento organizado pelo Sindicato dos Professores e Auxiliares da Administração Escolar do Estado do Piauí – SINPRO com apoio da Federação Interestadual dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino – FITEE e da Central dos Trabalhadores do Brasil – CTB.

 

 

 

Contee defende Insaes em audiência na Câmara: educação é direito, não mercadoria

A educação é, antes de tudo, um direito. E, para que este seja respeitado, embora o ensino seja de fato livre à iniciativa privada, essa mesma iniciativa privada tem o dever de respeitar as normas gerais da educação nacional, cumprindo a obrigatoriedade de ser avaliada pelo Estado e ser por ele autorizada para continuar atuando no campo do direito educacional. É com base neste argumento que a Contee reiterou hoje (21), em audiência pública na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados, sua posição em defesa da aprovação do Projeto de Lei 4.372/12, que cria o Instituto Nacional de Supervisão e Avaliação do Ensino Superior (Insaes). Trata-se de uma medida essencial para garantir ao Ministério da Educação (MEC) maiores condições de cumprir o papel de avaliação e supervisão, autorização e credenciamento e assegurar uma educação superior de qualidade no país, inclusive em instituições que vivem do dinheiro público. Continue lendo

Sinpro-AL denuncia irregularidades de escolas privadas no MTE e no MPT

MTE

Em audiência no Ministério do Trabalho e Emprego, com o Superintendente Regional, dr. Israel Lessa, e vários auditores fiscais do trabalho

O Sinpro Alagoas apresentou junto ao MTE e ao MPT , denúncias por descumprimento da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), contra as seguintes instituições de ensino: Contato, Marcelo Cursos, Atheneu, Santa Úrsula, Monteiro Lobato, Paulo Freire, Rosalvo Ribeiro dos Santos e SEB/COC.

As principais irregularidades são: não depositarem o FGTS dos funcionários, o que infringe não só CCT, mas também a Consolidação das Leis trabalhistas (CLT), informalidade, assédio moral, atraso ou não pagamento dos salários, acordos coletivos assinados sem a presença do Sinpro Alagoas etc.
Para cada uma das denúncias, foi convocada uma reunião, onde o Ministério do Trabalho ou Ministério Público do Trabalho notificaram os representantes patronais, para darem explicações e firmarem compromissos para que as irregularidades sejam sanadas.

Fiscalização em escola da rede privada de ensino

COC MPT 

Operação de fiscalização do Ministério Público do Trabalho, do Sindicato dos Professores do Estado de Alagoas (SINPRO AL) e do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimento de Ensino Privado (SINTEP AL) analisou, no dia 21 de junho de 2013, toda a documentação referente às relações de trabalho do SISTEMA SEB/COC e seus funcionários.

Continue lendo